CTeSP em Planeamento e Condução de Obra

DGES - N.º de registo e data: R/Cr 31/2020 de 31.03.2020

Apresentação

A queda acentuada do setor da construção civil observada a partir de 2009 marcou uma viragem neste setor, nomeadamente a passagem da construção nova para reconstrução e reabilitação de edifícios. Esta passagem foi impulsionada pelo forte crescimento do turismo e pela criação das Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) por parte das câmaras municipais. Beneficiando da nova legislação, que possibilita a criação das ARU, as câmaras municipais criaram processos de revitalização dos núcleos históricos, que também vieram impulsionar o setor da construção. Estes processos têm sido estimulados por vários fundos europeus (ex. JESSICA) que se traduzem em inovadores instrumentos de engenharia financeira com o objetivo de financiar projetos concretos de reabilitação urbana. As próprias revistadas da especialidade e os próprios meios de comunicação social vão libertando sinais concretos de que o sector do imobiliário, e consequentemente da construção, está em franca recuperação.

A noção de sustentabilidade na reabilitação de edifícios trouxe exigências ao nível da proteção ambiental, dos consumos energéticos e da valorização patrimonial, pelo que se exige maior formação dos técnicos na construção nestes domínios. Portanto, nos próximos anos vamos assistir em Portugal à proliferação de empresas de construção de nível médio, vocacionadas para reabilitação urbana e com reduzido número de trabalhadores com formação.

Neste contexto, o planeador e condutor de obra tem um papel valorizado, na medida em que o mesmo é obrigado a tomar decisões não planeadas em obra, em virtude do reduzido quadro técnico de formação superior e em virtude do processo de reabilitação que em si acrescenta imprevisibilidade no faseamento construtivo. Além disso, sendo esta uma formação de cariz eminentemente técnica, a sua empregabilidade deve ser avaliada num contexto amplo de evolução do setor da construção. A relevância crescente da reabilitação urbana, aponta para um potencial de empregabilidade futuro que em muito extravasa os por si já positivos dados atuais, sendo o Curso Técnico Superior Profissional de Planeamento e Condução de Obra, do Instituto Politécnico da Lusofonia, uma formação de essencial e fundamental para colmatar a necessidade de profissionais especializados nesta área.

Objetivos

Formar técnicos profissionais aptos a planear, organizar e coordenar atividades de condução de obra nova e de reabilitação, de acordo com princípios fundamentais de qualidade, segurança e sustentabilidade na construção civil.

Competências

Principais competências a adquirir pelos alunos do Curso Técnico Superior Profissional de Planeamento e Condução de Obra:

  • Adaptar metodologias, técnicas construtivas e equipamentos para realização de trabalhos em obra;
  • Coordenar a execução de trabalhos de reabilitação de edifícios;
  • Efetuar medições e orçamentos de empreitadas;
  • Elaborar procedimentos de qualidade, cadernos de encargos;
  • Implantar e acompanhar geograficamente a execução de obras;
  • Organizar e implementar planos de segurança e saúde no trabalho;
  • Participar na gestão de equipas, de materiais de construção, de equipamentos e de custos;
  • Planear, coordenar e fiscalizar a execução das tarefas ao longo de todo o faseamento construtivo de obras públicas e privadas, de diferentes especialidades e complexidade, de acordo com princípios de sustentabilidade da construção,

Saídas Profissionais

  • O Técnico Profissional de Planeamento e Condução de Obra pode desempenhar funções em empresas que desempenhem atividades na área da construção civil, projeto e arquitetura, Câmaras Municipais, empresas imobiliárias.

Equipamentos e Instalações

O Instituto Politécnico da Lusofonia dispõe de múltiplos espaços adequados ao ensino e formação e particularmente aos cursos que ministra quer ao nível da formação teórica, bem como ao nível de formação prática e laboratorial, nomeadamente:

  • Biblioteca especializada e geral;
  • Salas de Aula;
  • Salas de Estudo;
  • Auditórios;
  • Laboratórios de Informática e Computação.

Condições de admissão

  • Titulares do 12º ano ou habilitação legalmente equivalente;
  • Titulares de CET’s, titulares de CTeSP ou de grau de ensino superior;
  • Maiores de 23 anos - os que tenham sido aprovados nas provas especialmente adequadas a avaliar a capacidade para frequência do ensino superior.

Áreas relevantes para Ingresso

Os candidatos devem ter aprovação numa das seguintes Áreas Relevantes:

  • Física
  • Matemática
  • Português

Plano de estudos

/
1.º ANO ECTS
Fundamentos de Matemática I 4
Segurança e Qualidade na Construção 6
Estática e Resistência dos Materiais 5
Fundamentos de Matemática II 4
Fundamentos de Obras Geotécnicas 5
Materiais de Construção 6
Infraestruturas de Edifícios e Urbanas 5
Medições, Orçamentação e Empreitadas 6
Desenho Geral 5
Topografia e Sistemas de Informação Geográfica 5
Desenho Técnico Assistido por Computador 5
Comunicação e Tecnologias da Informação 4
2.º ANO ECTS
Introdução ao Direito do Trabalho 4
Organização e Planeamento de Obras 6
Conservação, Reabilitação e Manutenção de Edifícios 5
Tecnologias e Processos de Construção 5
Introdução ao Betão Armado 5
Energia, Ambiente e Sustentabilidade para Edifícios 5
Estágio 30

Candidatura online

Calendários escolares

Instalações onde decorrem as aulas:

IPLUSO Rua do Telhal aos Olivais n8 - 8a / 1950-396 Lisboa:

  • ERISA – Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches
  • ESCAD – Escola Superior de Ciências da Administração

IPLUSO Campo Grande 400 / 1700- 137 Lisboa:

  • ESEL – Escola de Educação da Lusofonia
  • ECIA – Escola Superior de Comunicação, Inovação e Artes
  • EET – Escola Superior de Engenharia e Tecnologias
  • ESPA – Escola Superior de Saúde, Proteção e Bem-Estar Animal

Valores

  • Candidatura
    Acesso, Maiores 23, Titulares CET/CTeSP, Titulares de Outros Cursos Superiores 98€
    Mudança de Par Instituição/Curso 72€
    Reingresso 75€
  • Matrícula e Inscrição
    Matrícula 120€
    Seguro Escolar
    (cursos área saúde)
    40€
    (45€)
    Inscrição 85€
  • Propinas
    Valor médio mensal pago em 11 meses 225€
Consulte a Política de Privacidade em vigor no Ipluso.
Direitos de autor © 2020 IPLUSO - Instituto Politécnico da Lusofonia. Todos os direitos reservados. Gestão de conteúdos por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.